quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Foi assim

Muitas pessoas nos perguntam (a mim e a quem escreve livros) como eles acontecem, a partir de que momento ou situação acontecem, pois bem vou contar como aconteceu a criação deste.
Era julho de 1999 a Lígia, minha filha, me enviou um email me convidando a participar de um concurso literário  que aconteceria em janeiro de 2000, ou seja: na virada do milênio, aliais era o assunto do momento, virada do milênio e do século, que seria é claro, na virada de 2000 para 2001, mas era assunto do dia, só se falava nisso e no que poderia acontecer, o mundo poderia acabar e outras bobagens, e como não podia deixar de ser inclui o assunto no romance; a virada do milênio.
Dai eu fiquei olhando para o regulamento e pensei: "-Mas eu nunca escrevi romance nenhum apenas historias infantis, cronicas e contos, coisa pequena-".
Deixei de lado o regulamento numa pasta me dando um tempo para pensar.
Antes é bom que se diga que já havia entrado em vários concursos literários de contos e crônicas e em alguns recebi incentivos interessantes, porem um romance é mais complicado, quase uma ousadia para uma pessoa como eu "de poucas letras"...
Até que um dia, como sempre acontece, sentei no computador e comecei a escrever uma cena que me veio por inspiração e que corresponde a pagina 30 do romance, ou seja; com o andar da carruagem a primeira página escrita foi parar no número 30. Coloquei coisas antes e depois sem perder o fio e nem deixar o que chamo de degrau, não dá para sentir emendas.
Fui escrevendo, enxertando partes e situações até que um certo dia o assunto esgotou e guardei a parte construída, mais ou menos cinquenta páginas, na verdade era quase uma sinopse, até ai a história não era baseada na doutrina espirita, era apenas um enredo qualquer, neutro, até que um certo dia, andando pela rua começou a se desenhar a continuação e a historia começou a se delinear em direção a filosofia espirita e dai deslanchou e foi até o final com cenas comoventes, almas gêmeas ou afins, crime, misticismo e aquele tempero que o mundo feminino tem.
Pois bem, levei uns dois anos para considerá-lo pronto, dai começou a maratona de registrar na Biblioteca Nacional e enviar para editoras até que 10 anos depois, também do nada, num dia qualquer, conversando numa banca de livros num Centro Espirita consegui uma referencia para editá-lo entrei em contacto com o Editor e deu tudo certo, porém tive alguns problemas com a edição no item apresentação do livro mas finalmente em dezembro de 2008 ele foi lançado e em abril de 2009 já estava esgotado na editora.
E foi assim. Agora consegui uma reedição na mesma editora do SENHORAS DA VALSA, a editora IDE que deu-lhe uma bonita capa e uma impecável apresentação como acontece a todos os seus livros.
"Não se julga um livro pela capa", já diz o ditado, mas sugiro a leitura. Mesmo que não seja espirita, leia como uma ficção, é uma leitura agradável. Leia, vai fazer bem para a alma.

4 comentários:

  1. Só estou esperando o livro virar logo novela das seis. Quando li o livro, parecia que estava assistindo... quem sabe numa dessas sortes da vida o livro não vai parar nas mãos certas, né?
    Boa sorte, Clô, você merece tudode melhor no mundo!
    Beijocas da filha orgulhosa ;)

    ResponderExcluir
  2. Clotilde♥Fascioni2 de dezembro de 2011 14:07

    Obrigadíssima minha filha querida. Estamos cheios de saudades. Beijinhos e ronrons. (^.^)~

    ResponderExcluir
  3. Legal, Clotilde. Não sabia que você é romancista. Parabéns pela nova edição deste seu filho. Sucesso de pública e crítica! Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Clotilde♥Fascioni5 de dezembro de 2011 12:52

    Obrigada Marcelo, este foi o primeiro, tem o Senhoras da Valsa e vai sair brevemente o VIDA, que já está no prelo.
    Obrigada de novo♥

    ResponderExcluir