quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

E se Maria tivesse abortado?


Esta postagem é de 2008, mas como é  um assunto sempre atual estou publicando novamente, sem falar que estamos no Natal, mês de nascimento (verdadeiro ou não, isso não importa) de Jesus, nosso MESTRE MAIOR.
Hoje fiquei pensando com meu ziper novamente. Olha o perigo!?
E se Maria de Nazaré, a mãe de Jesus, por todos os motivos que se discute hoje em dia, nesses tempos atuais, com relação ao corpo da mulher, propalado constantemente pelos meios de comunicação; "que é um direito da mulher dicidir pelo que fazer do seu corpo ou com ele, inclusive um aborto ou não, já que a mulher moderna deve pensar primeiro nela, na vida dela e no corpo dela", tivesse feito um aborto? Jesus não teria nascido!!! Pelo menos não naquelas circunstâncias.
Os seguidores do Espiritismo dirão: O livre-arbítrio de Maria seria respeitado é claro, mas a missão de Jesus, preparada e programada na espiritualidade por séculos, seguiria em frente, com certeza, " escolhendo" outra mulher(?!) que quisesse agasalhar em seu ventre tamanha incumbência.
Será que a maioria das mulheres imagina o tamanho da responsabilidade que é gerar um corpo para um espírito poder cumprir o seu roteiro de vida? Qual o roteiro de vida de cada um? Não se sabe, em princípio não nos lembramos, mas com certeza todas as encarnações são importantes, importantíssimas para a nossa evolução, e a do planeta para dizer o mínimo.
E as mães dos grandes inventores, dos grandes mestres das artes e da literatura, as mães de todos aqueles que fizeram a diferença para a evolução da humanidade?
E se elas também tivessem pensado primeiro e unicamente nelas?

É bom pensar um pouco mais além da cor do esmalte da unha do dedão do pé, nénão?
O aborto não é o descartar de um "incômodo" que aconteceu em hora errada, mas é a interrupção de um roteiro programado na maioria das vezes, durante décadas para atingir o momento certo de encontros e convivências necessárias que vão contribuir para o aprofundamento de relações imprescindíveis para evolução do espírito e por conseguinte, da humanidade.Pense nisso!

2 comentários:

  1. Bacana, Clotilde. Também sou contra o aborto - especialmente quando tratado à luz do Espiritismo, cuja doutrina respeito muito. Mas devo admitir que não tenho opinião formada no caso de aborto por estupro. Aí, realmente, é uma outra história...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Clotilde♥Fascioni12 de dezembro de 2011 19:16

    Obrigada pela visita, Marcelo.♥

    ResponderExcluir