quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O Valor das Coisas

O valor das coisas



NOVA YORK, EUA — A famosa "Peregrina", pérola única do século XVI que fazia parte da coleção da atriz Elizabeth Taylor, foi arrematada nesta terça-feira, em Nova York, por 11,84 milhões de dólares, um recorde mundial para este tipo de joia.

Uma coisa que sempre me intriga, é o valor que dão, e o preço coisas. É impressionante saber de uma informação dessas acima; 11,84 milhões de dólares, quequéisso?
Como pode acontecer uma coisa dessas? Alguém dispor de um dinheiro desses assim, para um objeto?
Eu sempre gostei de arte de um modo geral principalmente a arte construída com as mãos, pés, boca e demais habilidades, revertidas em pinturas esculturas e objetos.
Acho linda uma jóia bem elaborada, às vezes até pelo minimalismo e simplicidade da peça, que geralmente exalta a criatividade artística do autor, porém quem dá o real valor monetário à peça? A assinatura do design, o material empregado ou o nome da celebridade?
Provavelmente tudo junto, porém repito; quem será que dá o real valor à peça? A obra de arte?
Para mim sempre fica parecendo que estes valores afrontosos são inflacionados pelos “atravessadores”. É muito triste ver, numa época de fome e recessão mundial, como alguém pode se dar ao desprendimento de comprar algo tão pequeno por tanto dinheiro?
Não falo só dessa peça, mas de algumas telas, esculturas e tantos outros objetos que a meu ver, ignorante como sou, valeriam pela beleza e criação, apenas isso, sem excessos.
E se canalizassem esses valores para construir hospitais, criar espaços de recuperação de dependência de toda ordem, já que parece que o mal maior do mundo atual sejam as dependências de toda ordem? Poderiam canalizar uma parte desse dinheiro para pesquisas sérias que possam fazer a diferença no progresso mundial e na educação primorosa em todos os níveis, priorizando a educação ecológica com o fito de preservação do planeta e etc.
Sei lá, fico aqui pensando; quanto desperdício direcionado para tão pequeno objeto que ficará guardado num cofre a sete chaves até que o atual dono, cansado dele, resolva leiloá-lo novamente, talvez para ser incensado mais um pouco enquanto “valer” a notícia, para se destacar como proprietário de algo que ninguém tem, só ele, “elezinho”.
Eu tenho...você não te...emm..
AFF, que pobreza!!!

4 comentários:

  1. Pois é, Clô!
    Valor e preço são duas coisas completamente diferentes. Preço é um número, portanto, objetivo. Valor é completamente subjetivo.

    Não penso que alguém vá usar essa joia - ela deve estar sendo comprada por algum investidor e funciona como um símbolo - um papel, ações, ou coisas assim igualmente subjetivas que vão ser usadas para especulação - vender por um preço maior ainda daqui a algum tempo, se é que é possível. Ou então o sujeito tem dinheiro para jogar fora (e muito).

    Penso que pode ser uma questão de referências e a questão é complexa. Uma vez comentei do absurdo que era alguém dar R$ 1 mil por uma calça jeans e a outra pessoa retrucou que era só uma questão de escala. A água que uso para tomar um banho mataria a sede de 5 famílias no Gabão; a prestação mensal do meu carro sustentaria uma família na Etiópia por um ano. É que a gente não está nesse mundo, então não percebe e nem se imagina mandando o dinheiro para lá.

    Vai ver, o sujeito que comprou a joia vive num mundo onde todo mundo tem jatinhos e iates luxuosos, então, para ele não parece tanto dinheiro assim...

    Pelo menos, é a única explicação que consigo encontrar para uma coisa bizarra dessas...

    ResponderExcluir
  2. Clotilde♥Fascioni14 de dezembro de 2011 22:47

    Eu até entendo esse teu pensamento, porém o que me intriga é a disparidade de valores, o que é importantíssimo para um ao ponto de pagar um absurdo por um objeto que nem poderá usar, para outros, mesmo que tivesse estes zilhões e um pouco mais, iria preferir aplicar noutra coisa "mais útil", mas com certeza é uma questão de gosto, de status e de valores. Bjs♥

    ResponderExcluir
  3. Pois é, eu concordo com você e também não entendo -se bem que dinheiro não foi feito para comprar coisas úteis, mas coisas que a pessoa gosta, né? E se a pessoa for louca e muuuito rica....

    Mas já ouvi gente dizer que jogo um monte de dinheiro fora comprando livros. Cada um, cada um, né? Mundo louco, esse...

    ResponderExcluir
  4. Hoje estou aqui para agradecer sua amizade .
    E desejar um Santo Natal a você e sua familia preciso acarinhar minhas lindas
    amizades fico temerosa de deixar alguém sem passar no blog.
    Esta postado no meu blog um presente de Natal feito com muito carinho.
    Caso gostar esta a seu dispor e louvo a Deus pelo previlégio de conhecer você.
    Que perdure para sempre esse carinho essa amizade tão linda te amo ..te amo..
    Beijos no coração .
    FELIZ NATAL..
    Vou continuar te seguindo e te amando sempre.
    De mãos dadas rumo ao futuro.
    Evanir

    ResponderExcluir