quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Crescei e multiplicai é a lei



























Ultimamente tenho lido tanta coisa que não me diz nada na internet, que as vezes fico até sem vontade de abrir meus email's.

Mas hoje, uma amiga virtual, a Inês Bachiega, me mandou um "treinamento" para quem pretende ter filhos, quem não tem ainda e para relembrar os que ja passaram por isso.
Pois dei boas risadas me lembrando dos quatro grandes momentos que foram os nascimentos e apertos da jovem e inexpeirente mãe que eu fui. Tadinho dos meu filhos... Quanto sufoco.
Mas de tudo que eu li, um item vou reproduzir aqui embaixo, pois não vi em lugar algum tamanha fidelidade de exemplo.
Lendo o texto, eu me vi e até imaginei os jovens pais em atividade, na tarefa desesperadora de cuidar do seu rebento, e sinceramente????? Tenho pena.  Por mais sagrado que seja o ato de ter filhos e de adorar os meus, mas criar aquelas coisinhas fofas, que começa desde que se transpõe a porta de casa, de volta da maternidade, completamente sozinhos e desamparados, pelo menos é a sensação (e é PARA SEMPRE), não é tão simples como pode parecer aos mais desavisados.
Começa que Deus, para que sigamos o mandamento "Crescei e multiplicai", nos provoca o tempo todo. Ja começa aquela sedução recíproca, o desejo desenfreado e muitas vezes incontrolável de fazer bebês. Depois que nascem, não conta o segredo de como se cria e educa um ser totalmente individual, único! Não manda junto um manual, uma bula e nem tem SAC para tirar dúvidas.
Os comerciantes (intuídos por Deus, é claro) para nos "ludibriar", confeccionam lindas e fofas roupinhas, aqueles mimos de sapatinhos, até tênis de marca, tem agora! Todos os apretrechos e trequinhos inúteis coloridos para encantar o nosso rosado e rechonchudinho bebê, Uma grande ajuda são as papinhas prontas, doces e salgadas, que quebram um galho e tanto, para resolver um problema a menos, ja que o tempo das mães é diferente e os dias têm menos de vinte e quatro horas, com certeza. Apetrechos moderníssimos se espalham ao redor do bebê, como por exemplo, os talheres diferenciados; alguns meio "moles" ou flexíveis, como queiram, para não machucar a boquinha de "goiaba sem sementes" do nosso "reizinho" ou da nossa "princesinha", são muito estranhos. Presenciei outro dia uma colherinha com um avião concorde azul ultramar no lugar do cabo, fiquei pensando se eu iria querer uma daquela se fosse um bebê?! Tenho minhas dúvidas, é assustador! Imagine um avião vindo na sua direção e ainda mais querendo entrar na sua boca?!! Ninaninanão! Por isso que o nenem não queria comer e a mãe não entendia...
E o "manual" de cabeceira então?! O grande livro ( é mesmo grande, mais de 1.500 pgs) do Dr. Delamare: "Meu bebê", que os jovens pais (cultos), vão folheando nervosamente, até para saber o que fazer quando o nenê "está com cheiro esquisito" , inquieto e choramingando...
Voltando ao email que recebi; recortei só a parte noturna do treinamento, pois achei engraçadíssimo.


- PASSANDO A NOITE COM O BEBÊ PARA ACALMÁ-LO OU FAZÊ-LO DORMIR:
Pegue um saco grande de arroz e passeie pela casa com ele no colo das 20 às 21 horas. Deite o saco de arroz. Às 22:00 pegue novamente o saco e passeie com o saco até às 02:00. Deite o saco e você. Levante às 02:15 e vá ver a Sessão Corujão porque não consegue mais pegar no sono. Deite às 03:00. Levante às 03:30, pegue o saco de arroz e passeie com ele até às 04:15.
Deitem-se os dois (cuidado para não usar o saco de travesseiro). Levante às 06:00 e comece tudo de novo. Não é permitido chorar.

Repita tudo o que você disser (frases ou palavras), pelo menos cinco vezes. Repita a palavra NÃO a cada 10 minutos, fazendo o gesto com o dedinho. Gaste uma pequena parcela do seu orçamento (90%) com leite em pó, fraldas, brinquedos, roupinhas. Passe semanas a fio sem transar, sem ir ao cinema, sem sair com os amigos...


Esqueceram de colocar que duas jovens mães quando se encontram sempre falam da consistência e da côr do cocô do bebê na maior felicidade, até enquanto almoçam....

2 comentários:

  1. Ter gatinhos é mais fácil, eles não usam roupinhas....eheheh

    ResponderExcluir
  2. Mas também nos fazem chorar quando estão dodóis...♥

    ResponderExcluir