quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Liberdade e Individualidade


                                            Liberdade e Individualidade?
Você sabe o que isso, o que querem dizer essas palavras?
Cheguei a conclusão de que liberdade não existe, existe um afrouxamento, um alargamento de colarinho, um espaço na gaveta da vida, uma folga para respirar, mas liberdade mesmo, não existe, e individualidade também não.
Nascemos como grãos de trigo, de milho e de todos cereais, uns colados nos outros, empilhados e arrumados nas vagens. Nascemos em bando em pencas e ninhadas, nem sempre do mesmo parto, mas de uma mesma família. Daí trazemos no inconsciente uma base, uma plataforma que é de todos, que assim nos “liga” a todos.
Sim, você me diz que existe a liberdade de pensamento, que liberdade carapálida?
Se fazemos parte de uma penca, um cacho, ou uma ninhada, as estruturas que nos passaram fazem parte do pacote completo; fazemos e agimos automaticamente como nosso pai agia, como nossa mãe falava, como nossa tia cozinhava, daí eu pergunto:
Qual é de verdade o meu pensamento que não faz parte de ninguém? É só meu?
 Nem que eu fosse criado como ovos de tartaruga, abandonados para chocar na areia da praia, eu seria somente eu e mais ninguém, tanto é que no caso das tartarugas elas sabem para que lado correr quando saem das cascas, até onde eu sei nenhuma tartaruguinha apareceu no centro da cidade e nunca foram vistas num shopping. Não; elas nascem aos milhares e sozinhas, mas já vêm com GPS, sabem direitinho para onde correr e nós também sabemos quem é papai e mamãe, e quem ensinou? Nãoooooooooo, nem o papai e nem a mamãe tartaruga.
No caso humano, aquela zoiúda que ficava em cima do meu berço, cantarolando e me olhando o tempo todo, aquela eu sei que é a minha mãe.  Eu nasci sabendo que ela era ela.
 Daí vamos olhando pela janela do berço e vamos pensando:  -“Porque será que mamãe sabia que eu iria gostar de tudo rosinha, lilás e da Hellokiti?”-
Logo que saímos do berço começamos a olhar o mundo e não gostamos de muita coisa, porém ouvimos sempre -É preciso “- E isso implica simplesmente tudo na vida, o que queremos e o que precisamos fazer, e garanto que sempre ganha o “precisa”.
É claro que precisamos sim, fazer o que precisa ser feito, só que a alegria verdadeira, aquela que seria a autêntica de cada um vai ficando para trás, pois precisamos absorver e “sentir” a alegria que nos é de direito, aquela que é politicamente correta, aquela que precisamos assimilar até as entranhas desde cedo que é a que vai nos fazer uma pessoa melhor. E só muito mais tarde numa conversa informal nos lembramos de que tal coisa adoraria ter feito, outra que detestamos ter feito e assim vamos indo na leva do tsunami da vida, perdendo o que seria a nossa e de cada um a verdade e, por conseguinte a liberdade de ser um indivíduo na acepção da palavra.

Aff... Nessa hora é que a minha caspa vira mandiopã... hahahah
(É só um exercício para o "alemão não me pegar)

2 comentários:

  1. Olá Clotilde!
    Ajuda do Blogger.
    Resposta no fórum de ajuda do Blogger neste link:
    Resposta Verbratec Ajuda
    Poderá acontecer problema temporário geralmente sanado em algumas horas, mas também pode ser problema na interface de editor e neste caso é preciso voltar para a interface antiga, veja como trocar de interface neste link:
    Trocar interface do editor Blogger.
    Seu computador precisa estar limpo, use CCleaner ou o comando %temp% e atualize esempre seus programas. Mantenha um antivírus sempre atualizado e proceda escaneamento periodicamente.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela atenção em me responder Jairdejesus.

      Excluir